top of page

qui., 14 de set.

|

Auditório da Aliança Francesa Botafogo

Apresentação Jogos de Encruzilhada Rio de Janeiro

Os ingressos não estão à venda
Ver outros eventos
Apresentação Jogos de Encruzilhada Rio de Janeiro
Apresentação Jogos de Encruzilhada Rio de Janeiro

Horário e local

14 de set. de 2023, 18:30 – 19:10 BRT

Auditório da Aliança Francesa Botafogo, R. Muniz Barreto, 730 - Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, 22251-090, Brasil

Sobre o evento

Com o cruzamento das linguagens do teatro, da dança e da ópera (música), o projeto busca experienciar os dois territórios, Brasil e França, através de memórias transmitidas não só pela oralidade, mas também pelo corpo. O processo de pesquisa que resultará em um espetáculo foi idealizado pelas artistas Manu Figueiredo, Mariame Damba e Nila Clara. O público interessado em entrar em contato com o trabalho pode assistir à mostra de processo, em que cenas do futuro espetáculo serão apresentadas, no dia 14 de setembro, quinta-feira, 18h30, no Auditório da Aliança Francesa Botafogo, com entrada gratuita.

O espetáculo conta com gestualidades inspiradas em danças de países como a Guiné Conakri, a Martinica e o Senegal – antigas colônias francesas -, e do Brasil, com a dança dos Orixás. O coletivo composto por uma atriz, uma bailarina e uma cantora de ópera investiga, nesse processo criativo, formas de cruzamento de linguagens e pontos de encontro estéticos e culturais para gerar um espetáculo que fale de intimidade, mas também sobre a possibilidade de recontar uma narrativa a partir da encruzilhada.

Segundo Manu Figueiredo, a apresentação traz trechos do espetáculo final em um formato que pretende criar um diálogo com o público. “Vamos abrir o processo na forma de um espetáculo ainda não acabado. Um rascunho piloto, com exibição de cenas que construímos em três semanas de trabalho e que foram resultado da nossa criação até aqui”, conta a artista.

A ideia surgiu a partir das pesquisas do jogo e da brincadeira como processo criativo de Manu Figueiredo, de novas metodologias criativas decoloniais afro-amazônicas de Nila Clara e foi somada posteriormente à de Mariame Damba, que trabalha em torno das danças da África e suas diásporas, ancestralidade e cura. Assim, as artistas buscam expandir a significação da história e como ela atravessa cada corpo que vive constantemente sendo olhado pelo sistema colonial.

O projeto conta com o olhar externo e provocação de Ivy Souza e foi contemplado com a Bolsa Funarte / Aliança Francesa em parceria com Chaillot – Théâtre National de la Danse (Paris), da MC2: Grenoble – Maison de la Culture (Grenoble) e das Alianças Francesas no Brasil em parceria com a Fundação Nacional de Artes/FUNARTE e com apoio do Institut français (Paris).

Inscrições via Sympla: Clique aqui

Compartilhe esse evento

bottom of page